5 Dicas para Prevenir o Assédio Sexual

O assédio sexual é, infelizmente, a denúncia mais frequente dentro das empresas, representando 25,9% das denúncias, de acordo com o ICTS.

Fato esse que demonstra a extrema gravidade do tema e merece, então, grande atenção por todos os membros da empresa.

O assédio acontece fisicamente, por palavras, gestos e outros meios. Também acontece por propostas ou imposições contra a vontade da vítima, causando então um constrangimento e violando a sua liberdade sexual.

O assédio sexual tem como requisito o constrangimento mediante palavras, gestos ou atos para obter uma vantagem ou favorecimento sexual.

Para ser assédio sexual basta acontecer uma única vez.

No ambiente de trabalho, se dá geralmente na forma de chantagem (oferecimento de um benefício em troca de favor sexual) ou por intimidação (caso o favor sexual não se cumpra o assediador ameaça prejudicar a pessoa).

Pode acontecer entre colaboradores de mesmo grau de hierarquia ou entre chefe e subordinado, sendo este último o mais frequente dentro da empresa.

Assim, para prevenir o assédio sexual dentro da empresa separamos aqui 5 dicas para sua empresa:

Imagem: pexels

DICA #1 – CAMPANHA INTERNA

Uma das formas de coibir o assédio sexual é promovendo informações sobre o assunto para toda a empresa para aumentar a conscientização sobre o tema.

É importante que os colaboradores saibam o que é configurado como assédio sexual, quais são as consequências para o assediador e o que a vítima deve fazer dentro da empresa.

A campanha interna deve ser realizada junto com o marketing da empresa, mas aqui na Be Compliance nós disponibilizamos uma série de materiais que podem ajudar na sua campanha interna.

Desenvolvemos folders, cartazes, adesivos e fundos de tela para o computador para ajudar a sua empresa a difundir o conhecimento sobre o tema.

Para acessar nosso material completo CLIQUE AQUI!

DICA #2 – CANAL DE DENÚNCIAS

O canal de denúncias é o meio pelo qual o colaborador ganha voz dentro da empresa. É através dele que é possível denunciar atos de assédio, de forma que a empresa consegue punir o assediador (nos limites do código de ética e da legislação vigente no país).

Assim, a empresa pode prevenir novos casos de assédio ao demonstrar para os demais colaboradores que há punições para quem praticar tais atos.

DICA #3 – TREINAMENTOS

É comum que alguns colaboradores não identifiquem as suas atitudes como caracterizadoras de assédio sexual.

Infelizmente é comum ouvirmos que determinada atitude foi apenas “fruto de uma brincadeira” ou que “como não houve contato físico, não houve assédio”, ambas são afirmações falsas e típicas de assediadores.

Dessa forma, é importante informar os funcionários sobre quais atitudes configuram o assédio sexual.

É essencial explicar o conceito de assédio para o colaborador e mostrar casos em que o assédio acontece.

É por isso que na Be Compliance temos treinamentos sobre assédio sexual em que foram contratados alguns atores para encenarem cenas do dia-a-dia empresarial em que acontecem assédio sexual.

DICA #4 – CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

É essencial que todos os colaboradores da empresa saibam quais são as consequências para o colaborador que realizar qualquer ato de assédio sexual.

Bem como, é essencial que a empresa informe qual é o tipo de conduta que se espera de seus funcionários.

Ambos os casos devem constar no código de ética e conduta da organização, de forma clara.

O código de ética e conduta funciona como um guia do dia-a-dia dos colaboradores.

Portanto, é essencial que contenha as consequências para os assediadores e as formas como a vítima pode denunciar.

DICA #5 – APOIO À VÍTIMA

É essencial manter um canal de comunicação aberto e de apoio à vítima do assédio sexual.

O setor de Compliance e/ou Recursos Humanos deve dar o total apoio à vítima, ouvindo sua reclamação e a tratando com empatia e respeito.

Infelizmente é comum que em algumas empresas não tratem o assunto como prioriodade, o que dificulta a prevenção.

Acreditamos que o fim do assédio sexual dentro da empresa começa na mudança da cultura interna.

O que se dá primeiramente com o apoio da alta gestão para atitudes que promovam o compliance, bem como a mudança da cultura acontece também ao colocar em prática as dicas que explicamos acima.

Vamos juntos para promover o fim do assédio sexual!

Quer ler mais matérias sobre:

Voltar ao topo

Agende uma demonstração Grátis

Informe seus dados e aguarde um retorno de nosso especialista.

Agende uma demonstração Grátis

Informe seus dados e aguarde um retorno de nosso especialista.