Qual é a relação entre o setor de compliance e o setor de TI?

Compliance vem do termo “To Comply” que traduzido para o português significa estar em conformidade, possuindo como objetivo fazer com que a empresa procure estar em atenção às leis, normas e regulamentos internos e externos.

Dentro desse contexto, o Compliance pode ser aplicado à diversas áreas, dentre elas a Tecnologia da Informação.

Compliance em Tecnologia da Informação busca garantir a privacidade, disponibilidade, integridade, autenticidade e não repúdio dos dados de uma empresa.

O Compliance vai preservar a proteção de dados com políticas de controle tecnologias para evitar fraudes, garantindo a confiabilidade de suas informações.

O TI e o Compliance
Imagem: freepik

Leia também:

Compliance em TI e Segurança da Informação

Muitas organizações acreditam que Segurança da Informação e conformidade são a mesma coisa ou que atender aos regulamentos de conformidade cobrirá todas as necessidades de segurança.

Mas, a realidade é que elas desempenham papéis muito diferentes na proteção da sua organização.

Compliance é uma das bases da governança corporativa, busca fazer a empresa estar em conformidade com os órgãos regulatórios e normas da tecnologia da informação.

Já a Segurança da Informação, protege sistemas, redes e programas de dados contra ataques cibernéticos.

Ainda, ambas se diferem pois o Compliance garante que a empresa atenda a determinados requisitos internos e externos.

E a Segurança da Informação existe para mitigar possíveis danos, zelando pela confidencialidade, integridade dos patrimônios digitais da empresa.

Por que devem trabalhar juntas?

Apesar de serem distintas, as duas àreas juntas garantem a segurança da empresa e, ao mesmo tempo, o cumprimento da conformidade.

Ao aplicar as normas de Compliance à área de tecnologia da informação, é possível ter maior confiança de que a empresa está atuando de acordo com as leis e normas voltadas para a TI, como LGPD, Marco Civil, GDPR, ISO, entre outras.

Com isso, a TI consegue fazer uso de medidas de precaução, evitando riscos desnecessários.

As empresas não devem ver os regulamentos do Compliance como um guia norteador para criar programas de segurança dos dados, mas sim, o programa de Segurança da Informação deve possuir em sua estrutura a inclusão de requisitos de conformidade, considerando os ativos da empresa.

É importante mencionar que a abordagem apenas baseada na conformidade, apesar de ser necessária, não se torna suficiente para proteção das empresas contra ataques cibernéticos.

Principais Riscos identificados

Cada vez mais a Tecnologia da Informação e o Compliance vem se tornando importante para as empresas, principalmente no atual cenário tecnológico que estamos inseridos.

Dessa forma, se não realizada uma gestão de dados pela área de Compliance em TI, a empresa pode passar por riscos graves.

São diversos os riscos para as empresas que não estejam em conformidade, por isso, é importante a área realizar constante monitoramento.

Em primeiro lugar, as empresas devem se atentar ao chamado Shadow TI ou TI Invisível, ou seja, ao uso desenfreado de programas, aparelhos, serviços, sem o conhecimento da empresa ou do departamento de TI.

Além disso, as organizações devem atentar-se ao vazamento de dados e de informações confidenciais.

O vazamento de dados pode comprometer o andamento de vários processos e transações, além de contribuir para a criação de uma imagem negativa da instituição.

Há também uma situação bastante comum nas empresas, mas que pode causar grandes prejuízos, que é o uso de softwares não licenciados.

Neste caso, além de a empresa vir a responder criminalmente o ato, a pena pode chegar até dez vezes o valor regular do fornecedor.

Outro risco a que as empresas estão expostas é o de deficiência no programa de Governança.

Sua implantação é um grande desafio, visto que não existe uma única fórmula para seguir, dependendo tudo do contexto que cada empresa está inserida.

A falta de comunicação interna pode ser classificada como um risco.

A ausência de alinhamento entre colaboradores tem impacto nos processos internos, pois a ação de cada funcionário será abordada de forma distinta.

Medidas de Mitigação dos Riscos

Existem algumas estratégias que podem garantir que a empresa atenda as exigências de Compliance, para mitigação dos riscos acima tratados sobre Tecnologia da Informação.

O primeiro passo para mitigação desses riscos é identificar e definir quais regras, políticas, regulamentos a empresa deve seguir.

Posteriormente, para cada conjunto a empresa deve criar controles para que as determinações sejam executadas, definindo as consequências caso não ocorra o seu cumprimento.

Também há a necessidade de as empresas desenvolverem uma arquitetura de segurança, organizando de acordo com programas e dispositivos existentes.

Todas as alterações precisam ser comunicadas aos colaboradores, inclusive gestores, que devem ajudar o Compliance a garantir o cumprimento e monitoramento dessas mudanças.

Ainda, para mitigação de riscos é recomendado que as empresas:

1. Passem a adotar soluções em nuvem

Ferramentas em nuvem, além de diminuir os custos das atividades e o trabalho executado pelas equipes, acabam otimizando o processo de implementação do Compliance, não havendo dessa forma necessidade de modificar sistemas ou desenvolver aplicativos para cada alteração realizada, reduzindo riscos e gastos.

2. Realizem monitoramento do BYOD

Desde que os colaboradores passaram a utilizar os próprios dispositivos como ferramentas de trabalho, a segurança passou a ter que ser redobrada, sendo preciso observar que de acordo com a Lei Anticorrupção, todos os conteúdos que são acessados pelos funcionários são de responsabilidade da empresa, ainda que remotamente.

Sendo preciso adotar medidas de segurança, tais como, assinatura de termos, instalação de antivírus utilizado pela empresa, tornar obrigatório o bloqueio automático e uso de senhas, além de realizar backups com frequência.

3. Adotem soluções quanto a Governança Corporativa

O Compliance está relacionado com a Governança, e quando a empresa passa a usar ferramentas e meios adequados, fica mais fácil de solucionar impasses, e não deixar os usuários sobrecarregados, melhorando consequentemente a produtividade dos colaboradores.

Além disso, essas soluções possibilitam a redução das interrupções, e maior satisfação de todos.

4. Passem a utilizar ferramentas de monitoramento

Possuir um controle é a forma mais efetiva de analisar a infraestrutura, aplicações e experiências de cada usuário.

5. Treinamento

Educar os funcionários sobre leis, regulamentos, novos processos, e fornecer capacitação constante aos funcionários, é uma excelente estratégia para as empresas.

Esses treinamentos fazem com que todos da empresa entendam as suas regras, estejam informados sobre possíveis riscos internos e externos, bem como suas formas de prevenção e o uso do TI responsável, por exemplo.

6. Comunicação

A empresa deve buscar estabelecer um padrão e um foco em obedecer a políticas e regras estabelecidas, bem como, informar de todas as alterações nos processos, sistemas, e tecnologias utilizadas, para assim, todos estarem alinhados e com foco no mesmo objetivo.

Por fim

É evidente a importância da aplicação do Compliance em TI nas empresas.

Estar aderente às normas, políticas de segurança garantem que a empresa evite a penalização por multas, punições ou riscos.

Sendo assim, é importante que a empresa realize o processo de mitigação de riscos, assim elas conseguem evitar que erros afetem o fluxo dos processos internos, conferindo maior certeza e segurança aos arquivos e dados.

Por: Wellington Faria

Quer ler mais matérias sobre:

Voltar ao topo

Agende uma demonstração Grátis

Informe seus dados e aguarde um retorno de nosso especialista.

Agende uma demonstração Grátis

Informe seus dados e aguarde um retorno de nosso especialista.